INACOM revela que sinais de voz e de dados das operadoras satisfazem utilizadores

O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), lançou este mês, a sua primeira edição do estudo de qualidade dos serviços de voz e de dados das operadoras Unitel e Movicel, em Luanda, tendo avançado que estes serviços respondem em mais de 90 por cento aos níveis de consumo dos utilizadores.

De acordo com a publicação do Jornal de Angola, a primeira edição deste estudo que analisou a qualidade dos serviços das duas operadoras na baixa de Luanda, Centralidade do Kilamba, Município de Viana e Talatona, apurou que os sinais de voz e de dados satisfazem os utilizadores.

Na baixa de Luanda, por exemplo, as duas redes móveis usam a tecnologia 2G para o serviço de voz e fazem-no com qualidade de cobertura estimada em 99,6 por cento para a Unitel e 97,1 para a Movicel. Para o serviço de dados “FTP Downlink Throughput”, ainda na baixa de Luanda, a tabela de velocidade divulgada no estudo do INACOM mostra uma cobertura lenta, quer de uma quer da outra, fixada nos 90,3 e 92,8 por cento, respectivamente.

Na Centralidade do kilamba por sua vez, o estudo estimou em 98,6 por cento a qualidade do serviço 2G de voz disponibilizado pela Unitel. A Movicel, por sua vez, foi apurada com uma cobertura de 99,4 por cento. Os números muito próximos do absoluto indicam que no Kilamba existem poucas zonas com dificuldade de cobertura. Relativamente a cobertura do serviço de dados (Internet), a Centralidade do Kilamba, servida com tecnologia 3G, regista uma cobertura de 96,4 por cento para a Unitel e 100 por cento para a Movicel, de acordo com os dados obtidos da monitorização do serviço.

O estudo revelou portanto, que na Centralidade do Kilamba, os serviços de dados da tecnologia “FTP Downlink Throughput”, para as redes Unitel (82,2 por cento) e Movicel (66,7 por cento), o que é considerado lento.

Quanto a qualidade dos serviços de telefonia móvel, em Talatona, Distrito Urbano do município de Belas, na província de Luanda, a cobertura de voz e dados, nas tecnologias 2G e 3G, ficam com uma taxas de 97,3 e 99,3 por cento, para a Unitel, e 95,1 e 91,4 por cento, para a Movicel, registando uma velocidade lenta de acesso de dados por via do serviço “FTP Downlink Throughput”, reservando-se a taxas de 58 por cento para a Unitel e 68,5 por cento, para a Movicel.

O último ponto avaliado foi o município de Viana. Neste, a conclusão foi de que a operadora Unitel, nos serviços de voz (2G) e dados (FTP Downlink Throughput) cobre com qualidade a taxas de 97,6 e 89,3 por cento, sendo que a segunda representa a taxa de lentidão com que o serviço é disponibilizado, enquanto que a Movicel em Viana, opera no serviço 2G de voz com uma taxa de 90,4 por cento. A rede de dados “FTP Downlink Throughput”, considerada lenta, reserva uma taxa de 89,9 por cento, segundo o levantamento na maior parte da rota monitorizada.

Com o estudo, que deverá ter publicações regulares, o Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, que tutela o Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), pretende colocar à disposição do mercado e investidores nestes e outros segmentos de informação actualizada, fundamental para a tomada de decisão.


Fonte: Jornal de Angola

 

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal clicando aqui !!!

 

Partilhar artigo:

Somos um portal de notícias, voltado às tecnologias de informação e inovação tecnológica. Informamos com Rigor, Objectividade e Imparcialidade. Primamos pela qualidade, oferecendo aos nossos leitores, a inclusão tecnológica e a literacia digital

+(244) 930747817

info@pti.ao | redaccao@pti.ao

Mais Lidas

Últimos Artigos

Desenvolvido Por SP Media